Ouro fecha em alta com ameaça de inflação

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em alta nesta segunda-feira, pela quinta sessão consecutiva.

LETICIA PAKULSKI, COM DOW JONES NEWSWIRES, Agência Estado

24 de junho de 2014 | 15h57

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para agosto, ganhou US$ 2,90 (0,2%), fechando a US$ 1.321,30 a onça-troy.

"Os preços retornaram para o nível de US$ 1.300 a onça-troy que pode ser considerado o suporte inicial", disse Tyler Richey, analista do 7:00''s Report. "O mercado de ouro está começando a focar mais na inflação." O ouro é visto com uma proteção contra a alta dos preços. Aliada a um Fed ainda dovish, "a ameaça de um pequeno aumento da inflação está ganhando força", afirmou.

Além disso, o presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Mark Carney, afirmou hoje que a primeira alta nas taxas de juros britânicas desde 2009 dependerá do progresso da economia, sinalizando que as taxas podem continuar baixas por mais tempo. Segundo Carney, os últimos dados sobre salários, aquém das expectativas, sugerem que a economia tem mais capacidade ociosa do que se calculava.

"Os investidores foram pegos de surpresa ao ouvir o que parecia ser um sentimento dovish sugerindo que o mercado de trabalho do Reino Unido está mais indolente do que o previsto, o que pode atrasar o fim do estímulo," disseram os operadores do TD Securities, em nota a clientes.

Além disso, as tensões no Oriente Médio contribuíram para a valorização do metal precioso.

Tudo o que sabemos sobre:
ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.