Ouro fecha em alta influenciado por ata do Fed

Os contratos futuros de ouro encerraram o pregão no maior valor em três semanas impulsionados pelo tom mais "dovish" - ou seja, ou seja, favorável à manutenção dos estímulos econômicos - do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), divulgada nesta quarta-feira, 9, após o fechamento do pregão de metais preciosos em Nova York.

MATEUS FAGUNDES, Agencia Estado

10 de abril de 2014 | 15h29

Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para junho se recuperou das perdas do pregão passado e fechou com ganhos de US$ 14,60 (1,10%), a US$ 1.320,50 a onça-troy, o maior valor de fechamento desde 21 de março. A prata para maio subiu US$ 0,321 (1,62%), a US$ 20,091 a onça-troy.

Os metais preciosos ficaram pressionados nas sessões das últimas três semanas após o Federal Reserve sinalizar que os juros poderiam começar a subir no primeiro semestre de 2015, antes do que o esperado pelos investidores.

No entanto, a ata da última reunião do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) sinalizou que o aperto monetário somente virá quando as condições econômicas voltarem à normalidade.

"O Fed parece estar suavizando um pouco seu tom e está criando um ambiente positivo para o ouro", disse o especialista em futuros do Citigroup em Chicago Sterling Smith. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.