Ouro fecha em queda após relatório de emprego de EUA

O contrato mais negociado, com entrega em agosto, caiu US$ 32,80 (2,3%), para US$ 1.383 a onça-troy

07 de junho de 2013 | 15h38

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam nesta sexta-feira no menor nível em dez dias, após o relatório de emprego dos Estados Unidos intensificar a preocupação com uma possível redução de estímulos pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). A prata também sofreu com o mesmo temor e fechou no menor nível em 32 meses.

O contrato do ouro mais negociado, com entrega em agosto, caiu US$ 32,80 (2,3%), cotado em US$ 1.383 a onça-troy. O contrato mais negociado da prata, com entrega para julho, perdeu 96,4 centavos de dólar (4,3%), fechando a US$ 21,743 a onça-troy, menor nível desde outubro de 2010. Os dois metais preciosos têm recebido pressões nos últimos meses, na medida em que dados melhores da economia despertaram o temor de que as políticas de estímulos do Fed possam ser reduzidas, removendo assim a ameaça de inflação mais alta. Os investidores buscam o ouro como proteção contra o aumento dos preços.

Essa preocupação aumentou nesta sexta-feira, com a divulgação do relatório de emprego do país. De acordo com o relatório de empregos divulgado pelo Departamento do Trabalho, a economia norte-americana criou 175 mil novas vagas em maio, mais do que as 169 mil previstas pelos economistas. A taxa de desemprego, porém, subiu para 7,6% em maio, de 7,5% em abril. "Quando os números saíram e vieram melhor do que as previsões, vimos os investidores retirarem suas posições e o ouro cair", disse o estrategista da ii Trader, Bill Baruch. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ourofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.