Ouro fecha em queda com indicadores dos EUA e feriado

Os contratos futuros do ouro encerraram em queda nesta segunda-feira, 26, depois de não conseguirem se sustentar acima do nível de US$ 1.400,00 a onça-troy, devido ao feriado em Londres, que limitou o volume de negócios. Os contratos da prata ampliaram os ganhos registrados na última sessão e atingiram o maior patamar em três meses, com os investidores avaliando se os dados mais fracos que o esperado nos EUA podem ajudar a adiar uma desaceleração no estímulo monetário do Federal Reserve (Fed).

Agencia Estado

26 de agosto de 2013 | 15h44

O contrato do ouro para dezembro caiu 0,21% e encerrou cotado em US$ 1.393,10 a onça-troy na Comex, divisão da New York Mercantile Exchange (Nymex). No início da sessão, o ouro superou US$ 1.400,00 a onça-troy pela primeira vez desde junho antes de apagar os ganhos. O contrato da prata subiu 1,2%, para US$ 24,01 a onça-troy, o maior valor de fechamento desde 3 de maio.

A prata ampliou nesta segunda os ganhos observados na sexta-feira passada, 23, com os dados abaixo das projeções das encomendas de bens duráveis. Segundo o Departamento do Comércio dos EUA, as encomendas totais por bens duráveis recuaram 7,3% em julho, para o valor ajustado sazonalmente de US$ 226,6 bilhões, em comparação com junho. A previsão dos analistas era de que as encomendas cairiam 4%.

Os comerciantes de metais preciosos têm observado de perto os indicadores econômicos dos EUA para avaliar a probabilidade de o Fed limitar ou encerrar o seu programa de estímulo. Alguns investidores compram ouro e prata como hedge contra a inflação que pode acompanhar programas como as atuais compras de ativos no valor de US$ 85 bilhões por mês. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado de ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.