Ouro perde 0,6% com alta do dólar e dados da Europa

Indicadores econômicos decepcionantes na China e na Europa nesta segunda-feira fizeram os investidores buscar segurança no dólar, prejudicando a demanda por ouro, que é denominado na moeda norte-americana e assim se torna mais caro para compradores que usam outras moedas.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

23 de abril de 2012 | 16h11

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato de ouro mais negociado, com entrega para junho, perdeu US$ 10,20 (0,6%), fechando a US$ 1.632,60 a onça-troy, o menor nível desde 5 de abril.

Apesar de tradicionalmente alguns investidores se voltarem para o ouro em períodos de turbulência em outros mercados, essa dinâmica não está sendo observada quando se trata da dívida da crise na Europa. O potencial congelamento do sistema financeiro europeu leva os traders a preferirem a flexibilidade do dólar.

Outro fator que pesou sobre o ouro foi a diminuição na possibilidade de uma terceira rodada de afrouxamento quantitativo por parte do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). "As pessoas estão percebendo que o Fed não deve adotar nenhuma política definitiva", diz Bart Melek, diretor de estratégias para commodities da TD Securities. Geralmente, o ouro se beneficia com ações acomodatícias do banco central norte-americano, com os investidores procurando um hedge contra uma possível desvalorização do dólar.

A prata, que é mais usada pela indústria do que como investimento, fechou em queda de 3,5%, a US$ 30,531 a onça-troy, o menor nível desde 17 de janeiro deste ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ouroEuropadólarfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.