Ouro recua 0,7% e fecha no menor nível em um mês

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para junho, caiu US$ 9,30 (0,7%), encerrando a sessão a US$ 1.386,90 a onça-troy, o menor preço de fechamento desde o dia 17

AE,

16 de maio de 2013 | 16h36

Pela sexta sessão consecutiva, os contratos futuros de ouro negociados na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em queda nesta quinta-feira, após a divulgação de apostas em menor escala por alguns fundos de hedge apontarem para uma diminuição do interesse dos investidores no metal precioso.

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para junho, caiu US$ 9,30 (0,7%), encerrando a sessão a US$ 1.386,90 a onça-troy, o menor preço de fechamento desde o dia 17. O recuo do ouro apagou quase toda a retomada que se seguiu à liquidação recorde ocorrida em meados de abril. Uma queda abaixo de US$ 1.360,60 a onça-troy no fechamento levaria o ouro ao nível mais baixo desde fevereiro de 2011.

O montante de ouro mantido por fundos negociados em bolsa (ETFs) caíram esta semana para o nível mais baixo desde julho de 2011. Documentos divulgados nesta quarta-feira, 15, mostraram que alguns fundos de hedge, incluindo o supervisionado pelo multimilionário americano George Soros, estavam entre aqueles que cortaram a participação em ouro ETFs no primeiro trimestre.

Além disso, o governo dos Estados Unidos divulgou nesta quinta dados mais fracos que o previsto sobre inflação, um aumento nos pedidos semanais de auxílio-desemprego e uma queda forte no número de construções de moradias iniciadas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Ourofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.