Ouro supera US$ 1,1 mil com rumor de compra do metal do FMI pela China

Especulações a respeito de suposta diversificação das reservas chinesas têm se repetido e aumentam procura pelo ouro

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2010 | 15h03

O ouro opera sustentado, refletindo rumores de um site pouco conhecido de que a China está em negociações para adquirir 191,3 toneladas do metal do Fundo Monetário Internacional. O rumor, divulgado no site Rough & Polished e aparentemente sem fundamento, provocou um ganho de US$ 10,00 ao metal, puxando a onça-troy para acima de US$ 1.100,00 no final do horário de negócios em Londres. Depois disso, o ouro caiu rapidamente US$ 10,00, prejudicado pelo euro e pela percepção de que a informação não passava de um rumor.

 

Às 14h44 (de Brasília) desta quinta-feira, 25, o ouro spot subia 1,16% para US$ 1.104,40 a onça-troy. Na Comex, o contrato de abril avançava 0,69% para US$ 1.104,80 a onça-troy.

 

As especulações de diversificação das reservas da China, com redução da participação do dólar e aumento de investimentos em ativos como ouro, tem sido uma questão recorrente nos mercados e um argumento para compra do metal.

 

O FMI disse que não comentará sobre o rumor. No ano passado, o FMI colocou 403,3 toneladas de ouro à venda para levantar recursos para os países mais pobres. Até o momento, vendeu 212 toneladas para a Índia, Sri Lanka e Ilhas Maurício. Mas o FMI anunciou na semana passada que nenhum outro banco central havia se interessado e que daria prosseguimento a próxima fase de vendas, no mercado aberto. O FMI acrescentou que um banco central ainda poderia ser comprador das 191,3 toneladas de ouro remanescentes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ouro, reservas, China, especulação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.