Ouro vira e recua 0,6% no dia em NY, mas sobe 0,4% no mês

Depois de quatro sessões seguidas de alta, o ceticismo com ações de autoridades monetárias nos EUA e Europa fez o metal mudar de direção

Renan Carreira, da Agência Estado,

31 de julho de 2012 | 16h30

Após quatro sessões consecutivas de alta, os contratos futuros de ouro fecharam em queda nesta terça-feira na Comex, divisão da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), uma vez que cresceu o ceticismo entre os investidores de que os bancos centrais de Estados Unidos e Europa vão sugerir mais medidas de estímulo.

Os contratos do metal com vencimento mais próximo, para agosto, recuaram US$ 9,20 (0,57%) e terminaram a US$ 1.610,50 por onça-troy. Entretanto, no mês o ouro acumulou alta de 0,4%. Os contratos do metal mais negociados, com entrega para dezembro, caíram US$ 9,40, encerrando a US$ 1.614,60 por onça-troy, queda de 0,58%.

Nos quatro pregões anteriores, os contratos de ouro para agosto subiram com os mercados focados no anúncio do Federal Reserve, que começou sua reunião e na quarta-feira divulga a decisão de política monetária. Na quinta-feira, será a vez de o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) fazerem seus anúncios de política monetária.

O metal geralmente se beneficia de medidas de estímulo, pois os investidores buscam uma proteção contra os declínios do valor das moedas e da inflação que possa ocorrer.

As perdas do dia estão ligadas à realização de lucros no fim do mês e às especulações dos traders sobre se o Fed vai de fato agir. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ourofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.