Para FMI, risco de nova crise é pequeno

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, disse hoje que o risco de uma nova crise financeira global ainda é reduzido, mas alertou que a comunidade internacional precisa ser preparara para tempos mais difíceis. ?No momento, o risco de uma nova crise financeira pode ser ainda pequeno?, disse Rato durante um discurso num seminário promovido pela Empire Society em Cingapura. Ele observou que o crescimento da economia mundial está elevado ?e os mercados financeiros estão lidando bem? com a volatilidade dos últimos dias. Além disso, acrescentou, muitos países emergentes, especialmente na Ásia, acumularam grandes reservas em moeda estrangeira para se prevenir. ?Mas as condições benignas nos mercados financeiros não vão durar para sempre, e o acúmulo de reservas é feito com um custo financeiro muito alto.? O chefe do FMI disse que num ?mundo no qual os mercados financeiros estão se tornando mais conscientes do risco inflacionário e desequilíbrios globais, contínuas políticas macroeconômicas fortes e consistentes nos mercados emergentes são ainda mais importantes.? Segundo Rato, há também o risco que os preços altos e voláteis do petróleo ?vão começar a afetar o crescimento global e a inflação, como também o risco de uma epidemia da gripe aviária?. Ele ressaltou que os desequilíbrios na economia mundial ?precisarão eventualmente? se pronunciar nos mercados. ?O risco é que eles vão se pronunciar de uma maneira desorganizada e abrupta?, disse. ?Por exemplo, poderia ocorrer uma queda abrupta na taxa de consumo nos Estados Unidos, talvez iniciada por um mercado imobiliário em desaceleração?. Ou, acrescentou, um ajuste desordenado poderia ser causado por acontecimentos nos mercados financeiros. ?As tendências nas taxas de câmbio nos últimos meses estão na direção certa para ajudar o processo de ajuste e, até agora, isso tem acontecido de uma forma ordeira. Mas se os investidores subitamente decidirem não manter ativos financeiros dos Estados Unidos com as taxas de juros e de câmbio do momento, isso poderia levar a uma desvalorização abrupta para o dólar norte-americano e aumentos dos juros dos Estados Unidos.? Rato acrescentou que isso ?poderia causar distúrbios no mercado financeiro mundial e também um desaquecimento econômico?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.