Para IBEF, Copom reduzirá taxa Selic em 0,5%

Na semana que antecede a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF/SP) trabalha com perspectiva de nova redução de 0,5% da taxa básica de juros. Em função disso, o Instituto refez suas projeções para o PIB, descartando definitivamente o crescimento de 4% - patamar ainda defendido pelo ministro Guido Mantega. O Copom se reúne nos dias 17 e 18 deste mês. Segundo comunicado divulgado pela instituição, a desaceleração esperada para o PIB deveria ter efeitos mais significativos sobre a dinâmica da taxa de juros. "Não cremos, no entanto, que o Copom irá acelerar o ritmo dos cortes, apesar da necessidade", informou o presidente da entidade Walter Machado. "A confirmação de que não há excesso de demanda na economia, em um cenário de inflação sob controle, permitiria, em nosso entender, acelerar este processo". Inflação e PIB Segundo o IBEF SP, a inflação terminará o ano abaixo do centro da meta de 4,5% devido à menor estimativa de alta dos preços administrados e também ao impacto do resultado tímido do PIB no segundo trimestre. A instituição projeta crescimento da economia de 1% no terceiro trimestre. Para o último trimestre, a previsão é de expansão entre 1% e 1,5%. Com isso, o Instituto refez sua previsão de crescimento em 2006 para o intervalo entre 2,9% e 3,5%.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2006 | 16h23

Tudo o que sabemos sobre:
renda fixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.