Passivo continuará atrelado à Varig na Bovespa

Com a cisão da Varig em duas, os passivos da companhia aérea vão permanecer atrelados à empresa listada na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Já a outra, livre de dívidas, será leiloada daqui a 60 dias. O novo modelo de venda da Varig foi aprovado ontem em uma assembléia de credores. Responsável pela implementação do processo de reestruturação da Varig, o diretor da consultoria Alvarez & Marsal, Marcelo Gomes, explicou que os recursos obtidos com o leilão serão injetados para melhorar a situação financeira da Varig listada em bolsa. "Ela será uma Varig mais forte financeiramente", afirmou. A expectativa é de que sejam arrecadados, no mínimo, US$ 700 milhões no leilão. Esse é o preço mínimo fixado para a venda da parte doméstica da companhia aérea. Mas a proposta permite ainda que o investidor opte por fazer um lance por toda a parte operacional da Varig, que engloba as rotas internacional e nacional. Neste caso, o valor mínimo foi estabelecido em US$ 860 milhões.

Agencia Estado,

10 de maio de 2006 | 15h13

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.