Petrobras acha óleo a mais de 2 km de profundidade

A Petrobras anunciou ontem uma nova descoberta de óleo leve na Bacia de Santos, a mais de 2 mil metros de profundidade. É a segunda descoberta do tipo nos últimos meses o que, segundo especialistas, reforça a tese da existência de uma nova bacia petrolífera situada em uma camada do solo bem mais abaixo da que vem sendo explorada no Sudeste. A estatal, em nota, considerou o encontro do óleo "um marco histórico". Mas ainda não há condições de determinar o volume da jazida e se a extração no local é comercialmente viável."O poço, ainda em perfuração, está situado em uma área de nova fronteira exploratória, em águas com 2.140 metros de profundidade, e representa um marco histórico na atividade de exploração de petróleo no Brasil: é o primeiro a ultrapassar uma camada de sal de mais de 2 mil metros de espessura, no subsolo marinho, e encontrar petróleo", diz o comunicado.A perfuração ocorreu no bloco BM-S 11 (sigla usada para identificar as áreas na Bacia Marítima de Santos), que foi arrematado em 2000 pela Petrobras, em parceria com a britânica BG e a portuguesa Petrogal, no segundo leilão realizado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). A Petrobras é a operadora do bloco, com participação de 65%; a BG tem 25% e a Petrogal, 10%. Por lei, as empresas têm obrigação de informar imediatamente ao órgão regulador a existência de indícios de petróleo e gás nos locais perfurados. Mas, por causa do trabalho preliminar no campo, nenhum executivo da companhia forneceu detalhes da operação."É uma ótima notícia. Não é de hoje que se vem alertando para a necessidade de perfuração abaixo da camada de sal. Mas é um trabalho difícil e muito caro", diz o geólogo Giuseppe Bacoccoli, da Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor e consultor de mercado, Bacoccoli atuou por 30 anos na Petrobras, na área de exploração e produção.A Petrobras informa que, "por se tratar de uma nova fronteira exploratória, os resultados preliminares são muito importantes, porém serão necessários investimentos adicionais para a avaliação de volume e produtividade desses reservatórios". O poço, o primeiro no bloco BM-S-11, fica a 250 quilômetros da costa sul do Rio e a 280 quilômetros da Refinaria Duque de Caxias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.