Petrobrás: confirmação de reserva de ação vai até dia 28

Compra depende do preço definido pela estatal para cada papel e do valor que o investidor estava disposto a pagar no momento da reserva

Agência Estado,

24 de setembro de 2010 | 08h23

As corretoras de valores têm até 28 de setembro para informar aos investidores que fizeram as reservas das ações da capitalização da Petrobrás se as compras foram ou não efetivadas. O comunicado deve ser feito por telefone, carta ou e-mail. Basicamente, a efetivação das compras depende do preço definido pela estatal para cada papel e do valor que o investidor disse que estava disposto a pagar no momento da reserva (regra determinada no prospecto da capitalização).

Na prática, isso quer dizer que, se no momento da reserva das ações o investidor disse que estava disposto a pagar por cada papel um valor inferior ao definido pelo conselho da Petrobrás ontem, a compra não será efetivada. Por outro lado, se o investidor se dispôs a pagar um valor mais alto que o divulgado pela estatal, ele automaticamente vai adquirir mais ações que o inicialmente previsto.

Ontem à noite, em reunião do Conselho de Administração da Petrobrás, o preço das novas ações foi definido em R$ 29,65 para as ordinárias (ON, com direito a voto) e R$ 26,30 para as preferenciais (PN, sem direito a voto). Houve desconto de 2% sobre o preço das ON (R$ 30,25) e de 1,8% sobre o das PN (R$ 26,80) no pregão de ontem.

Para os novos acionistas - aqueles que participaram da oferta ao varejo, que teve prazo de reserva de ações encerrado no dia 22 -, a efetivação das reservas também depende da sobra de ações da oferta prioritária - exclusiva para quem já tinha ações da Petrobrás e teve o prazo de reserva concluído no dia 16. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.