Petrobrás dispara e Bolsa sobe 2,5% após pesquisa eleitoral

Papel ON da estatal avançou 5,45% e o PN, 4,91%; já o dólar caiu com levantamento que mostra empate de Dilma e Aécio em eventual 2º turno

Márcio Rodrigues e Olívia Bulla, Agência Estado

18 de julho de 2014 | 11h41

Atualizado às 17h49

SÃO PAULO - A Bovespa teve alta firme nesta sexta-feira, conduzida pelo avanço das estatais, com destaque para Petrobrás, e também dos bancos. Com isso, alcançou a terceira semana consecutiva de ganhos. O movimento esteve atrelado à pesquisa Datafolha, com oscilação para baixo nas intenções de voto na presidente Dilma Rousseff e um empate técnico entre a petista e Aécio Neves (PSBD) em um eventual segundo turno. Além disso, no exterior, as bolsas subiram, com a aversão ao risco vista na quinta-feira, 18, após a queda do avião da Malaysia Airlines no Leste da Ucrânia e a invasão de Israel à Gaza, sendo minimizada.

A Bovespa fechou em alta de 2,47%, aos 57.012 pontos. Petrobrás teve grande responsabilidade por esse comportamento de alta do Ibovespa, ao disparar cerca de 5%. No fim, Petrobrás ON subiu 5,45% e PN, 4,91%. Eletrobrás ON avançou 6,20% e PNB, 0,44%. Já Banco do Brasil ON teve ganho de 2,65%.

O bom humor foi disseminado e os bancos, que têm a maior participação do índice, também subiram de maneira consistente. Bradesco PN avançou 4,79% e Itaú Unibanco PN, 4,90%. Santander unit, no entanto, perdeu fôlego ao longo do dia e fechou em baixa de 0,59%. Vale ON e PNA, no entanto, recuaram 0,10% e 0,04%, respectivamente, depois de também subirem pela manhã.

Já no mercado de câmbio, o dólar fechou em baixa de 0,89%, cotado a R$ 2,23. Na mínima do dia, no início da tarde, a moeda caiu a R$ 2,2260.

As ações do Ibovespa reagiram ao levantamento do Datafolha, que apontou que as intenções de voto na presidente Dilma oscilaram de 38% no início de julho para 36% agora, enquanto o candidato do PSDB à Presidência manteve 20% das intenções de voto.

Juntos, todos os rivais de Dilma também somam 36%. Considerando a margem de erro, não é possível dizer se haveria ou não segundo turno. Ainda assim, em uma eventual segunda rodada do pleito, Dilma aparece tecnicamente empatada com Aécio, sendo que a petista tem 44% das intenções ante 40% do tucano, também dentro da margem de erro. No levantamento anterior, Dilma somava 46% e Aécio, 39%.

No exterior, as tensões envolvendo a queda do avião da Malaysia Airlines no Leste da Ucrânia e a invasão de Gaza por Israel continuam no radar, mas o mercado tirou o dia para corrigir os exageros cometidos no auge das incertezas sob os possíveis impactos destes acontecimentos na economia. Hoje, o presidente Barack Obama afirmou crer em apoio russo aos separatistas da Ucrânia e relembrou da queda de três aeronaves na mesma região. Além disso, ele também pediu a Israel que evite mortes de civis. 

Ainda assim, as bolsas norte-americanas tiveram ganhos importantes. O Dow Jones subiu 0,73%, aos 17.100,18 pontos, o S&P 500 avançou 1,03%, para 1.978,22 pontos, e o Nasdaq, 1,57%, aos 4.432,15 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.