Petrobras estréia hoje na Bolsa de Buenos Aires

Apesar da demora, a expectativa no mercado portenho se mantém intacta em relação ao início da cotação das ações da Petrobras na Bolsa de Buenos Aires, a partir desta quinta-feira. A Comissão Nacional de Valores (CNV) e a Bolsa de Buenos Aires deram a aprovação final ontem à noite para a negociação desses papéis. A Petrobras não lançará ações na Argentina. Ao invés disso, o banco Santander, nos próximos dois anos, atuará como market maker e venderá aos investidores locais papéis comprados nas bolsas de valores de São Paulo, Nova York e Madri, mercados nos quais os papéis da petrolífera já são negociados. A tramitação dos papéis para a cotação em Buenos Aires demorou vários meses e foi concluída um mês após a previsão da empresa. Uma das 12 principais empresas produtoras de petróleo no mundo, com uma capitalização na Bolsa da ordem de US$ 103 bilhões, a Petrobras é a mais esperada pelos investidores argentinos. Segundo um comunicado da Petrobras no Brasil, enviado à Bolsa de Buenos Aires, as ações ordinárias serão negociadas com o código APBR, e suas ações preferenciais sem direito a voto, aparecerão no painel com a sigla APBRA. Segundo informaram no mercado, a "chamada à praça" será realizada por volta do meio-dia, pelos representantes da Petrobras e da Bolsa de Buenos Aires. Com o petróleo acima dos US$ 70 o barril, a incorporação da Petrobras no painel geral de ações cria grandes expectativas. "Será uma ação atraente para incorporar à um portfólio, porque no mercado argentino não há muitas outras opções para apostar nesse setor, além da Tenaris (siderúrgica)", explicou o analista Hernán Fardi, da consultoria Maxinver. No mercado portenho há unanimidade sobre as "fortes possibilidades" de que Petrobras transforme-se na estrela do painel Merval dentro de muito pouco tempo. "Acreditamos que (Petrobras Brasil) terá volume pelo fato de que possui um ADR em Nova York e esse é um bom sustento para dar volume à um papel", disse Juan Diedrich, de Capital Markets. Os analistas estimam que o preço inicial de cotação da Petrobras será de entre 67 pesos (US$ 25,89) a 75 pesos (US$ 25,50), já que o fechamento da ação da companhia no mercado brasileiro ontem foi R$ 51 (US$ 23,5), enquanto que a preferida finalizou os negócios em R$ 46,30 (U$S 21,8). A companhia brasileira nega que tenha planos, no curto prazo, para fechar o capital da Petrobras Energia Participaciones e promover uma troca por ações da Petrobras. Mas no mercado portenho, a incorporação das ações da Petrobras Brasil à Bolsa de Buenos Aires deixa uma interrogação sobre o que poderá suceder com o volume operado dos papéis de sua filial local, Petrobras Energía Participaciones SA (PBE, segundo sua sigla de cotação). Nesse sentido, existem duas opiniões distintas. Alguns analistas consideram que é muito provável que os papéis da empresa brasileira tirem algum volume da tradicional PBE, enquanto que outros afirmam de que não existirão grandes mudanças porque o negócio principal de ambas companhias é diferente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.