Petrobrás oscila e Ibovespa esboça reação

Negociações da estatal seguem influenciadas pelos desdobramentos das investigações da Operação Lava Jato

Olívia Bulla, Agência Estadão

18 de novembro de 2014 | 10h39

Atualizado em 19.11 às 19h12

Depois de voltar a acumular perdas em 2014, ao final da sessão de segunda-feira, nesta terça-feira, 18, a Bovespa abriu o pregão em uma tentativa de recuperação, sustentada pelo sinal positivo vindo de algumas praças internacionais e pelos ganhos nas ações da Petrobrás. 

Por volta das 10h50, o Ibovespa subia 0,25%, aos 51.409 pontos. Entre as ações, Petrobrás recuava, levemente,  0,08%, tanto ON quanto PN, respectivamente, digerindo o rebaixamento na recomendação das ações ordinárias da companhia pelo UBS, de compra para neutro. O banco de investimentos também cortou o preço-alvo dos papéis de R$ 20 para R$ 15,00, o que representa um potencial de valorização de 23% sobre o fechamento de ontem.

No noticiário sobre os esquemas de corrupção envolvendo a Petrobrás, o atual diretor de Abastecimento da estatal petrolífera, José Carlos Cosenza, negou veementemente as acusações e o envolvimento com Alberto Youssef, após supostamente ter sido citado pelo doleiro e Paulo Roberto Costa em seus depoimentos. 

Os delatores teriam dito à Polícia Federal que Cosenza teria se beneficiado de comissões distribuída por empreiteiras para garantir contratos na empresa. A informação foi, inclusive, usada pelo delegado da Polícia Federal Agnaldo Mendonça em interrogatórios com empreiteiros realizados nos últimos dias. 


Nesta quarta-feira, porém, a PFadmitiu que o nome de Cosenza foi citado indevidamente por delegados da PF eminterrogatórios. Ao ser questionada pelo juiz federal Sérgio Moro sobrequais provas existiriam contra Cosenza, a Polícia Federal reconheceu o erro eafirmou que não há evidências sobre a participação do atual diretor sobre suaparticipação


Já os papéis ON e PNA da Vale recuavam 1,22% e 1,32%, nesta ordem. A mineradora relega os dados mais favoráveis vindos da China, sobre os aportes produtivos externos no país asiático e os preços de moradias, e reage mais ao forte revés de hoje no preço do minério de ferro. A commodity recuou 4% no mercado à vista chinês, atingindo a mínima desde junho de 2009 e acumulando perdas de 46,6% no ano.

Ainda sob os ecos da notícia de que a PF vai investigar se o esquema de corrupção do doleiro também se estendia às empresas elétricas, as ações do setor de energia também seguem no radar. Além disso, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza hoje o leilão de número 4/2014 de transmissão, com a oferta de cerca de 4.700 quilômetros de linhas divididas em nove lotes.

No exterior, as principais bolsas europeias firmaram-se no campo positivo, beneficiados ainda pelo avanço bem acima do esperado do índice ZEW de expectativas econômicas na Alemanha. Já os índices futuros das bolsas de Nova York têm fôlego reduzido e exibem um viés negativo, um dia após o S&P 500 atingir o 42º recorde de alta do ano e em meio à agenda econômica norte-americana mais fraca no dia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.