Petrobras pagará US$ 1,3 bi pela Ipiranga e Braskem, US$ 1,1 bi

A Petrobras irá desembolsar US$ 1,3 bilhão na compra dos ativos do grupo Ipiranga e a Braskem, US$ 1,1 bilhão, segundo informações de Tércio de Souza, diretor da consultoria Estater, que assessorou o fechamento do acordo de venda da Ipiranga, oficializado esta manhã.Com esses valores, somados à fatia da Ultrapar, que será financiada por meio de uma emissão de ações, o montante final do negócio aproxima-se de US$ 4 bilhões. "Trata-se da maior aquisição privada já realizada no Brasil", destacou Souza.De acordo com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, a estatal utilizará recursos próprios na transação - que não estava prevista no planejamento estratégico da empresa até 2012. Conforme o executivo, além de representar "um passo a mais de ação ativa da Petrobras no setor petroquímico", o acordo traz um avanço importante na organização societária da Copesul, cujo controle atualmente é compartilhado entre Braskem e Ipiranga Petroquímica, e vai permitir o desenvolvimento do Pólo de Triunfo (RS)."O negócio também aumenta a sinergia de rede da Petrobras, pois integra ainda mais a área de refino com a distribuição de combustíveis, o que é muito importante na nossa estratégia", disse o presidente da Petrobras.Segundo Gabrielli, a aquisição da Ipiranga trará um retorno "adequado" e não afetará as relações financeiras da Petrobras. "Não há impacto significativo na nossa estrutura financeira."O presidente da Braskem, José Carlos Grubisich, afirmou que a fatia da companhia no negócio com o grupo Ipiranga será paga com recursos próprios e por meio de linhas de financiamento já disponíveis. O executivo não detalhou, entretanto, qual será a parcela de empréstimos a ser usada, nem quais bancos estão envolvidos na operação.UltraparA Ultrapar fará uma emissão de 52,8 milhões de ações para pagar sua fatia na aquisição do grupo Ipiranga, segundo o presidente do grupo Ultra, Pedro Wongtschowski, em entrevista à imprensa esta manhã. De acordo com fato relevante entregue à Comissão de Valores Mobiliários, o preço ajustado com os controladores da Ipiranga é de R$ 2 bilhões. Esta primeira etapa deve ser concluída em 30 dias. Posteriormente, a Ultrapar fará uma oferta pública de compra de ações ordinárias dos minoritários da Ipiranga por alienação de controle (tag along).Concluída esta fase, a Braskem e Petrobras farão uma proposta de fechamento de capital da Copesul, que é a central de matérias-primas petroquímicas do Pólo de Triunfo.Após isso, o grupo Ultra irá incorporar as companhias da Ipiranga, operação que prevê uma troca de ações preferenciais.A última etapa do negócio, que deverá ser concluído até o final do ano, é a venda e entrega dos ativos petroquímicos da Ipiranga para Braskem e Petrobras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.