Petrobras prevê construir três novas refinarias até 2014

O diretor da área de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou hoje que a empresa terá concluído, até 2014, três novos projetos de refinarias previstos no plano de negócios 2007-2011. A refinaria do Nordeste, que terá sede em Pernambuco, receberá investimentos de US$ 2,8 bilhões, com capacidade para processar 200 mil barris por dia, sendo que 100 mil barris de óleo virão da Venezuela e a outra metade do Brasil. O projeto será feito em parceria com a PDVSA, a estatal venezuelana de petróleo, e estará concluído em 2012.Costa afirmou que em janeiro será finalizado o projeto básico e, no segundo semestre de 2007, a Petrobras terá condições de iniciar a terraplenagem. Inicialmente, o investimento previsto era de US$ 2 bilhões, mas Costa explicou que o acréscimo de US$ 800 milhões deve-se tanto ao aumento de custos como ao fato de o projeto hoje estar mais detalhado. "Toda a decisão de investimento da Petrobras passa por algumas fases. Sendo a primeira de estudos; a segunda, o projeto conceitual; e a terceira, o projeto básico. Quanto mais avançadas as fases, melhor a nossa capacidade de previsão dos volumes e valores."A segunda refinaria a ser construída será a do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), com o projeto conceitual devendo ser concluído no final deste mês e a terraplenagem, iniciada no final de 2007. A expectativa de conclusão do empreendimento é também em 2012.Ainda em fase de estudos, a refinaria Premium será a última ser concluída, em 2014, com capacidade de processamento de 500 mil barris/dia. O empreendimento ainda não tem local definido para a sua construção.No plano de negócios da Petrobras está previsto um crescimento de 21% na capacidade de refino da estatal até 2011, chegando a 2,3 milhões barris/dia. Com a entrada destas três novas refinarias, a partir de 2015, a expectativa é de ampliar a capacidade para 3,2 milhões barris/dia.Para o Estado de São Paulo, a Petrobras tem reservado no seu plano de negócios US$ 10 bilhões, sendo que só na área de abastecimento serão investidos US$ 6,13 bilhões, com a maior parte dos recursos sendo direcionados para Revap (US$ 2,04 bilhões), Replan (US$ 1,29 bilhão) e Transpetro (US$ 1,49 bilhão).Investimento no exteriorA Petrobras estima investir entre US$ 800 milhões e US$ 900 milhões na refinaria de Passadena, recém-adquirida nos Estados Unidos. No próximo mês, a empresa assinará o contrato de compra de 50% da refinaria com a americana Astra Oil. "Nossa intenção é dobrar a capacidade de processamento dos atuais 100 mil barris diários para 200 mil por dia", afirmou Costa.Além disso, os investimentos servirão para que a refinaria possa processar petróleo pesado do Brasil - algo entre 120 mil e 130 mil barris, segundo Costa. Com o aumento da capacidade das refinarias em processar óleo nacional, a Petrobras tem como meta agregar valor às exportações. "Nossa intenção é vender derivados com valor mais elevado no lugar do petróleo."O óleo brasileiro também tem cotação mais baixa no mercado internacional e, por isso, seu processamento, mesmo nas refinarias do exterior, garante uma margem maior para a Petrobras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.