Petrobras puxa alta da Bolsa em pregão de liquidez fraca

Além do preço do petróleo, a empresa ainda foi acariciada com notícia de perfuração e exploração de poço

Claudia Violante, da Agência Estado,

26 de maio de 2008 | 18h44

Os feriados em Nova York (Memorial Day) e Reino Unido (bancário apenas) esvaziou os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que teve um pregão fraco e com volume financeiro muito estreito. O giro de negócios foi um terço do que é normalmente transacionado numa sessão normal. Isso, entretanto, não impediu que os poucos investidores atuantes fossem às compras e garantissem elevação ao Ibovespa. A bolsa doméstica fechou em alta de 0,25%, aos 71.628,7 pontos. Oscilou entre a mínima de 71.423 pontos (-0,04%) e a máxima de 71.988 pontos (+0,75%). Tal desempenho elevou os ganhos acumulados em maio para 5,54% e os do ano, a 12,12%. O giro totalizou parcos R$ 2,608 bilhões, enquanto a média do mês, de acordo com a Bovespa, é de R$ 7,113 bilhões. Com a agenda de indicadores vazia, o petróleo garantiu o fechamento positivo do mercado. O preço do barril do petróleo negociado na bolsa eletrônica de Nova York (Nymex) subiu 0,61%, para US$ 132,37, influenciado por um ataque a um oleoduto na Nigéria e também por declarações do ministro de Petróleo dos Emirados Árabes Unidos, Mohammed Al-Hamli. Um grupo separatista no Delta do Níger atacou um dos oleodutos da Royal Dutch Shell, o que interrompeu parte da produção no país. Além disso, Mohammed Al-Hamli reiterou que a Opep não deve aumentar a produção, já que o mercado estaria "bem abastecido". Com isso, as ações da Petrobras, mais uma vez, carregaram o Ibovespa para cima. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) subiram 2% - com o maior giro individual, de R$ 445,323 milhões - e as ordinárias (ON, com direito a voto) 2,92% (giro de R$ 88,619 milhões). Além do preço do petróleo, a Petrobras ainda foi acariciada pela notícia divulgada pela Eni, empresa italiana com quem atua num bloco no Golfo do México, de que o grupo teria sido bem-sucedido na perfuração e exploração do poço. A Petrobras tem 25% de participação no consórcio. Mais destaques O setor siderúrgico também foi destaque hoje no pregão, assim como vem ocorrendo nas últimas semanas, devido à demanda aquecida. Além disso, hoje a Petrobras informou que pretende encomendar aço no mercado doméstico para atender à demanda ainda para a primeira fase de encomendas de 26 navios petroleiros, lançada em 2005. Vale, outra blue chip do mercado doméstico, operou na contramão: as ações ON caíram 1,10% e as PNA, 0,62%. A empresa confirmou hoje que tem planos de construir novas pelotizadoras na China, em parceria com siderúrgicas locais, conforme notícia veiculada no sábado pelo jornal South China Morning Post.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasBovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.