Petrobras quer liderar produção de energia a partir de hidrogênio

A Petrobras quer ser a líder na produção de energia a partir do hidrogênio, informou hoje o gerente de gás e energia da empresa, Fernando Baratelli Junior. De acordo com o executivo, a estatal já está investindo R$ 3 milhões por ano em pesquisas e desenvolvimento para alcançar esse objetivo e o primeiro projeto de utilização do hidrogênio como combustível deverá ser conhecido em 2008. Segundo Baratelli, daqui a dois anos os primeiros ônibus movidos a hidrogênio deverão circular nas ruas de São Paulo, por meio de uma parceria com a Empresa Municipal de Transportes Urbanos (EMTU). Um dos objetivos do projeto da Petrobras é abrir postos de abastecimento de hidrogênio no Rio e em São Paulo, provavelmente em São Bernardo do Campo, onde fica a garagem da EMTU. "A grande vantagem do hidrogênio é a questão ambiental. Ao contrário de outros combustíveis que liberam gases poluentes, ele produz água, que não é poluente", afirma Baratelli. Segundo ele, a única desvantagem em relação a outras fontes de energia é o custo de produção, maior no caso do hidrogênio. Segundo o pesquisador do Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Marco André Fraga, ainda não foi possível calcular qual a diferença de custos."O hidrogênio como combustível disponível para a população ainda vai levar alguns anos, talvez uns 15 ou mais", disse Fraga. Segundo ele, em 2008 deverá entrar em uso experimental um projeto do INT de uso do hidrogênio como gerador de energia. Trata-se de uma parceria com o Centro de Pesquisas de Energia elétrica (Cepel) e com o Instituto de Pesquisas Energética e Nucleares (Ipen).Por esse projeto, conta Fraga, seria possível gerar energia de uma casa pertencente a uma família de classe média. O projeto prevê a utilização do hidrogênio a partir do etanol com uma célula combustível (espécie de pilha que gera a energia a partir do hidrogênio) de 5 quilowatts (kv). Fraga, do INT, e Baratelli, da Petrobras, participam do 1º Encontro Brasileiro de Energia do Hidrogênio, que acontece em um hotel da zona oeste do Rio até o dia 30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.