Petrobrás rendeu 647% em 6 anos e Vale, 730% em 5

Rentabilidade de 647% em seis anos e meio e de 730% em cinco são valorizações impensáveis para a maioria dos investidores brasileiros. Foi essa a escalada, respectivamente, das ações da Petrobrás e da Vale do Rio Doce no período até janeiro. A pedagoga Márcia Chaves Valentim integrou um batalhão de 258 mil "cobaias" que aplicaram parte do FGTS em ações da Petrobrás. Isso ocorreu em agosto de 2000. Ela investiu 30% do saldo. "Sempre fui conservadora", diz. Hoje, Márcia sorri de orelha a orelha. Os R$ 12 mil que aplicou viraram R$ 90 mil. Em fevereiro de 2002, foi a vez de Silvia Duque, coordenadora de eventos, integrar um batalhão ainda maior, o de 728 mil pessoas que aplicaram parte do FGTS em ações da Vale. Sílvia queria aplicar 50% do saldo, cerca de R$ 20 mil. A demanda foi tanta que o governo fez um corte de 71% nas propostas, e ela aplicou apenas R$ 5.904. Por motivo de desemprego, Silvia resgatou a aplicação em 2003, um total de R$ 8.811, com rendimento de 49%. Foi uma pena. Se tivesse deixado o dinheiro lá, teria hoje R$ 49 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.