Petróleo abre em queda atento a emergentes

As operações que precedem a ata do Fomc pesam sobre os preços em meio à incerteza sobre o futuro 

Agencia Estado

21 de agosto de 2013 | 07h33

Os contratos futuros de petróleo bruto operam em baixa nesta quarta-feira, com as preocupações sobre a demanda dos mercados emergentes pressionando os preços. Além disso, as operações que se antecipam à divulgação da ata da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto, do Federal Reserve dos EUA, continuam a pesar sobre os preços em meio à incerteza sobre o futuro do estímulo monetário à economia norte-americana. O documento deve ser publicado ainda nesta quarta-feira, por volta das 15h (de Brasília).

"O sentimento geral refere-se a temores sobre os acontecimentos nos mercados em desenvolvimento", disse Torbjorn Kjus, da DNB Markets. "A China tem estado por trás de mais de 40% do crescimento da demanda por petróleo nos últimos dez anos, contudo um dos principais desenvolvimentos é o risco de que poderemos ver um crescimento muito menor da demanda por petróleo em todos os países do BRIC".

As preocupações com o crescimento da demanda dos mercados emergentes também foram citadas por David Hufton, da corretora PVM, como um fator de pressão sobre os preços. Em uma nota a clientes, ele ressaltou os sinais da fraqueza das moedas ou da economia da Índia, África do Sul, Brasil, Tailândia, Turquia e México.

"Todo o crescimento da demanda de petróleo neste ano e no próximo deve vir de países emergentes. Se o crescimento nestes países estagnar, o mesmo ocorrerá no crescimento da demanda por petróleo", disse ele.

No entanto, ele disse que há um apoio considerável para o preço, principalmente, da interrupção na produção de petróleo da Líbia. Confrontos eclodiram na terça-feira em terminais de petróleo que tinham sido fechados na Líbia Oriental, segundo autoridades.

Os problemas no Egito também continuam a afetar o mercado de petróleo, provavelmente mantendo os preços mais elevados. O Egito controla o Canal de Suez, uma rota vital para o transporte de petróleo do Oriente Médio. "O que acontece no Egito repercute em toda a região", disse Simon Wardell, da IHS Global Insight.

Por volta das 7h22 (de Brasília), o contrato do brent para outubro tinha queda de 0,60% na plataforma ICE, a US$ 109,49 por barril. Enquanto isso, na Nymex, o petróleo para outubro caia 0,36%, a US$ 104,73 por barril, no primeiro dia do contrato de outubro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.