Petróleo acelera queda com alta de estoques de gasolina

Os contratos futuros de petróleo aceleraram a queda para abaixo dos US$ 73 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), após a divulgação de um aumento inesperado dos estoques de gasolina nos Estados Unidos na semana passada. De acordo com o Departamento de Energia daquele país, os estoques do combustível cresceram em 1,5 milhão de barris, para 214,2 milhões de barris, já que as refinarias aumentaram o ritmo de produção e a demanda diminuiu um pouco. Analistas consultados pela Dow Jones projetavam queda de 1,1 milhão de barris dos estoques. Os estoques de petróleo e destilados também subiram. Esse crescimento generalizado acalmou um mercado até então nervoso com as recentes ameaças globais ao fornecimento. O recuo das cotações do complexo de energia ocorre antes do vencimento do contrato de agosto amanhã na Nymex e em meio à diminuição das preocupações com o conflito entre Israel e o Hezbollah, agora na segunda semana. Apesar da incursão de tropas israelenses no sul do Líbano hoje cedo, os operadores não esperam que o conflito irá envolver o restante da região. "A menos que haja um acirramento ou sinais de proliferação da guerra para outros países, o mercado deverá ignorar os bombardeios diários", disse o analista do BNP Paribas, Tom Bentz. "No momento, não há nenhum efeito direto sobre o fornecimento de petróleo." Às 12h42 (de Brasília), o contrato de petróleo bruto para agosto negociado na Nymex caía 2,16%, para US$ 71,95 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.