Petróleo amplia alta com temor de confronto no Golfo

Os futuros de petróleo subiram mais de US$ 1,00 e superaram US$ 65,00 o barril em Nova York, com os operadores continuando a apostar na alta dos preços em meio às tensões internacionais com o Irã. Os preços ficaram em alta a manhã toda, pouco abaixo do importante nível psicológico, quando uma repentina onda de compras empurrou os preços sensivelmente para cima. Não houve notícias novas por trás do avanço. Os analistas disseram que o movimento parece ser uma continuação da disparada recente dos preços, alimentada pelos temores de um confronto no Golfo Pérsico. "Neste ponto, o mercado está considerando que a situação vai piorar antes de melhorar", disse o analista de energia Phil Flynn, da Alaron Trading Corp em Chicago. "É impossível encontrar uma razão convincente para ficar vendido nesse mercado." O Irã disse ontem que estava adiando a liberação de uma marinheira britânica capturada por causa da ameaça do Reino Unido de levar o caso ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. O impasse por causa da captura dos marinheiros britânicos pelo Irã já dura uma semana. Às 13h56 (de Brasília), o contrato para maio do WTI subia US$ 1,81, ou 2,86%, para US$ 65,93 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York eletrônica. No after-hours (período de negociações após o pregão regular) de segunda-feira passada, o contrato chegou a ser negociado momentaneamente acima de US$ 68,00, mas não fecha neste nível desde setembro. Nas últimas nove sessões, avançou quase 15%. Na ICE, em Londres, o Brent para maio subia 3,51%, ou US$ 2,30, para US$ 68,05 o barril. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.