Petróleo atento à primeira tempestade tropical nos EUA

Os contratos futuros do petróleo registram pequena variação nesta manhã, com investidores observando o comportamento da primeira tempestade tropical da temporada de 2006 de furacões a se aproximar da costa do Golfo do México, no Atlântico Norte. A tempestade tropical Alberto ganhou força no início desta segunda-feira no golfo e os serviços de meteorologia emitiram alerta para a costa leste da Flórida (EUA). Os ventos sopram a velocidade de 50 milhas por hora, abaixo do mínimo de 74 milhas por hora necessário para ser considerado um furacão. Mesmo assim, a tempestade deixa investidores do complexo de petróleo em alerta, ao sinalizar o início de um período de risco à produção de petróleo na região do golfo mexicano. A disputa em relação ao direito de exploração da tecnologia de energia nuclear pelo Irã também mantém acesas as apostas de alta da commodity. O principal negociador de Teerã em questões nucleares, Ali Larijani, rejeitou ontem qualquer precondição para a abertura das negociações com o Ocidente. Larijani disse que estão inclinados a negociar sem imposição de condições. Outro fator que continua a favorecer as preocupações com a oferta de petróleo é a longa interrupção de parte da produção de petróleo da Nigéria. Na sexta-feira, o governo disse que o conflito no delta do Níger paralisa agora 800 mil barris da produção diária, 300 mil barris acima do informado anteriormente. Às 9h39 (de Brasília), o contrato do petróleo negociado no pregão eletrônico da Nymex encontrava-se em alta de 0,01%, em US$ 71,64 o barril. Na plataforma ICE eletrônica, em Londres, o contrato de mesmo vencimento subia 0,04% para US$ 70,51 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.