Petróleo atinge máxima em 4 semanas com frio nos EUA

Os contratos de petróleo tipo Brent negociados na plataforma ICE londrina e o do petróleo WTI, no pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), bateram hoje novas máximas das quatro últimas semanas com a volta de compras por fundos e com as previsões de que as temperaturas mais frias no inverno do Hemisfério Norte vão continuar. "Eu acho que os fundos estão aquecendo novamente este mercado", disse um operador. "Houve muito suporte deles quando os preços recuaram um pouco, mais cedo, e eles devem dar um sinal para um novo teste em níveis ainda mais altos", completou. A extensão das previsões de temperaturas mais frias no Hemisfério Norte até a metade de fevereiro continua a estimular as esperanças de que a demanda por óleo de calefação vai se manter elevada. As recentes quedas nas temperaturas foram apontadas como a razão para a diminuição de 2,6 milhões de barris nos estoques de destilados apontada ontem pelo relatório do Departamento de Energia dos Estados Unidos. Além disso, operadores destacaram o início previsto para hoje dos cortes de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para a alta dos preços. "É preciso pouca imaginação para ver o WTI acima de US$ 60 por barril", afirmou o analista da BMO Capital Markets, Bart Melek. O volume de vendas na realização de lucros vista nesta manhã foi pequeno, segundo operadores. Mais cedo, o petróleo tipo Brent para março na ICE chegou a cair para US$ 56,89, de US$ 57,40 de ontem, e depois atingiu a máxima de US$ 57,76. Às 12h02 (de Brasília), os contratos subiam 0,49%, para US$ 57,68. Na Nymex eletrônica, os contratos para março atingiram a máxima de US$ 58,40 e a mínima de US$ 57,63, de US$ 58,14 ontem. Também no horário acima, os contratos avançavam 0,28%, para US$ 58,31. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.