Petróleo atinge menor preço desde julho de 2009

Barril foi negociado a US$ 64,24 em Nova York, mas voltou a subir em seguida

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

20 de maio de 2010 | 14h44

Os preços dos contratos futuros do petróleo operam em queda acentuada, pressionados por receios com os estoques elevados da commodity nos EUA e com a possibilidade de uma desaceleração na recuperação da economia europeia.

Às 14h45 (de Brasília), na New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do petróleo para junho - que vence hoje - caía US$ 3,72, ou 5,32%, para US$ 66,15 por barril, mas tocou uma mínima intraday de US$ 64,24, o menor preço desde o fechamento de 20 de julho de 2009, de US$ 63,98 por barril. O contrato para julho, de maior liquidez, perdia US$ 2,51, ou 3,46%, para US$ 69,97 por barril.

Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para julho recuava US$ 2,63, ou 3,57%, para US$ 71,06 por barril.

O mercado de petróleo foi um dos mais atingidos pela onda de aversão ao risco provocada pelas preocupações com a situação debilitada das finanças públicas em países periféricos da zona do euro, como a Grécia. A União Europeia e o Fundo Monetário Internacional elaboraram um plano de quase US$ 1 trilhão para conter crises sistêmicas na zona do euro, mas a proposta ainda precisa ser aprovada pelo parlamento alemão na sexta-feira.

Além disso, os estoques de petróleo na cidade de Cushing, nos EUA, onde são feitas as entregas físicas dos barris negociados na Nymex, atingiram um novo recorde na semana passada, de 37,9 milhões de barris, o que serviu de incentivo para que os investidores liquidassem posições nos contratos de vencimento mais próximo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
commoditypetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.