Petróleo avança mais de 1%, com problemas na Nigéria

Os contratos futuros do petróleo para julho são negociados em alta de 1,65%, a US$ 71,50 por barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), em uma reação às notícias sobre o Irã e um novo problema na Nigéria. Na ICE Futures Exchange, o petróleo tipo Brent para julho sobe 1,38%, para US$ 70,37 por barril. O vice-chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Mohammad Saeedi, rejeitou a oferta condicional dos Estados Unidos de negociações, afirmando que a população iraniana não permitiria a interrupção do enriquecimento de urânio. "O Irã não pediu para que a 'América' entrasse nas negociações nucleares e, se as conversas tiverem precondições, o Irã não vai desistir de seus direitos legais", teria afirmando Saeedi, à agência de notícias Estudantes Islâmicos. "Por isso, aceitar as condições que a América estabeleceu é, quase, impossível", disse. Paralelamente, a Shell Petroleum Development Company na Nigéria, uma unidade da Royal Dutch Shell, enviou um grupo de peritos para investigar o local onde ocorreu um vazamento de petróleo. O problema provocou a interrupção na distribuição de 50 mil barris por dia, de acordo com o porta-voz da companhia. Como conseqüência, a Shell suspendeu as atividades em quatro de suas estações de movimentação de petróleo em Nembe, no Delta do Rio Níger. "Estamos tentando definir o ponto do vazamento, que fica em uma área pantanosa, para decidirmos como consertar a linha", afirmou. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.