Petróleo avança pouco após brent superar os US$ 115

Os sete dias de alta nos preços dos contratos de petróleo tipo brent atingiram um obstáculo após o valor superar US$ 115 por barril na quinta-feira, 19, pela primeira vez em nove meses.

Agência Estado

20 de junho de 2014 | 07h37

A violenta insurreição no Iraque alimentou um avanço de mais de 5% nos preços do brent desde 12 de junho, mas, embora os combates próximos à refinaria de Beiji ainda persistam, assim como os receios de que Bagdá seja a próxima cidade a ser dominada pelos rebeldes, as exportações de petróleo iraquiano não foram interrompidas.

"Por enquanto, a única coisa que aumentou foi a incerteza", comentaram Harry Tchilinguirian e Gareth Lewis-Davies, analistas do BNP Paribas. "Não há realmente um problema na oferta do Iraque ainda", destacaram.

"A menos que você assuma que Bagdá seja dominada e que haja combates entre grupos sunitas e xiitas no sul do país, não haverá muito (movimento no preço do petróleo) no curto prazo", afirmou Paul Stevens, especialista em energia do instituto de pesquisas Chatham House.

Na região sul do Iraque vive uma população de maioria xiita e é onde ficam os principais campos de petróleo e oleodutos do país.

Às 7h10 (de Brasília), o brent para agosto caía 0,16% na ICE, para US$ 114,88 por barril, enquanto o petróleo para julho negociado na Nymex, que vence hoje, subia 0,08%, para US$ 106,52 por barril. O petróleo para agosto na Nymex, que já é o mais negociado, tinha leve alta de 0,02%, para US$ 106,07 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobrent

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.