Petróleo cai 1,73% em Nova York, a US$ 73,25 o barril

Os contratos futuros de petróleo são negociados em queda acentuada, com as expectativas de declaração de um cessar-fogo no Oriente Médio e em reação à desaceleração do crescimento da economia dos EUA. A despeito da contínua batalha entre Israel e Hezbollah, os operadores eram animados pelos apelos do presidente da França, Jacques Chirac, e de outros líderes para que haja uma pausa no conflito que pode provocar uma guerra regional e interromper as ofertas de petróleo. O crescimento de apenas 2,5% da economia norte-americana no segundo trimestre também dava estímulo adicional para vendas de futuros. Às 12h58, o contrato para setembro cedia 1,73%, para US$ 73,25 por barril, na Nymex. Na mínima do dia, o contrato chegou a US$ 72,40 por barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.