Petróleo cai a US$ 71,15 com alta de estoques nos EUA

Os contratos futuros do petróleo caíram mais de 2% na Nymex (New York Mercantile Exchange), em reação aos números sobre os estoques norte-americanos de petróleo, gasolina e derivados divulgados às 11h30, os quais mostraram crescimento nos níveis superior ao esperado. Às 12h50 (de Brasília), o contrato para julho negociado na Nymex cedia 1,86% para US$ 71,15 o barril. O contrato de mesmo vencimento negociado na plataforma ICE, de Londres, perdia 1,84% para US$ 69,51 o barril. A queda acontece apesar das previsões do ex-presidente do Fed (banco central dos EUA) Alan Greenspan de que a demanda chinesa deve manter a pressão de alta sobre os preços da commodity. Paralelamente, o presidente da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) advertiu os especuladores do mercado de petróleo para que evitem tomar vantagem dos problemas geopolíticos para alavancar os preços. O ministro do petróleo dos Emirados Árabes Unidos, Mohamed Bin Dhaen Al Hamli, também expressou preocupação com o movimento no mercado de petróleo, ressaltando que a elevação dos preços poderá gerar impacto negativo na economia mundial. "Estamos preocupados com o impacto dos preços do petróleo sobre a demanda. Já revisamos as projeções de demanda para o petróleo no mundo. Não sabemos a que nível (de preço) a economia começará a se enfraquecer e a inflação se elevar", disse Al Hamli. Na segunda-feira, em entrevista publicada no The Wall Street Journal, o ministro do petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, disse que produção de petróleo do país caiu para 9,1 milhões de barris ao dia em abril, o nível mais baixo desde janeiro de 2005. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.