Petróleo cai abaixo de US$ 58 com dúvidas sobre Opep

Os futuros de petróleo despencaram em Nova York, fechando abaixo de US$ 58,00 o barril - segundo nível de fechamento mais baixo do ano -, pressionados pela crescente avaliação de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não será capaz de alcançar um acordo sobre um corte significativo na produção, segundo operadores e analistas. A Opep realiza amanhã em Doha, capital do Qatar, reunião de emergência para discutir um corte na produção para dar sustentação aos preços. Contudo, o principal produtor do grupo, a Arábia Saudita, até agora tem declinado de expressar publicamente apoio à proposta de corte de 1 milhão de barris/dia na produção, apesar da insistência de outros membros do cartel, composto por 11 países. "O mercado está claramente nos dizendo que não acredita que a Opep se disponha a cortar a produção em 1 milhão de barris/dia quando diz 1 milhão de barris/dia", disse o presidente da Cameron Hanover, Peter Beutel. "A Opep nunca tentou reduzir a produção em tais níveis elevados de preços e parece que o coração da Arábia Saudita não está nisso", acrescentou. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de petróleo para novembro fecharam a US$ 57,65 o barril, em queda de US$ 1,28, ou 2,17%. A mínima foi de US$ 57,40 e a máxima de US$ 59,50. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para dezembro fecharam a US$ 59,58 o barril, em queda de US$ 1,36, ou 2,23%. A mínima foi de US$ 59,32 e a máxima de US$ 61,56. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2006 | 17h44

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.