Petróleo cai abaixo de US$ 70 com notícia sobre Alasca

Os preços do petróleo caíram abaixo de US$ 70 o barril com o otimismo desencadeado pela possível retomada da produção no campo de Prudhoe Bay, no Alasca, antes do esperado. O recuo nos preços acontece apesar de hoje vencer o prazo dado pelas Nações Unidas para que o Irã suspenda o enriquecimento de urânio ou enfrente possíveis sanções. Não se espera que o Irã cumpra o prazo. Autoridades da ONU e da Europa indicaram que o país prossegue com suas atividades nucleares. O vice-presidente da BP PLC, David Peattie, disse que a produção total de 400 mil barris por dia no campo de Prudhoe Bay poderá ser retomada antes que todo o sistema de oleoduto no lado leste do campo seja substituído com o uso de desvios em algumas áreas. O fluxo de petróleo em Prudhoe Bay foi cortado à metade, para 200 mil barris/dia este mês, para que a BP prepare a substituição de 16 milhas de oleodutos após a descoberta de corrosão, que provocou vazamentos em março e início de agosto. Os comentários do executivo acentuaram a sentimento de queda dos preços de ontem, depois que a AIE, agência federal norte-americana de informação sobre energia, anunciou um inesperado aumento na oferta de petróleo e gasolina nos EUA. O contrato para outubro do petróleo na New York Mercantile Exchange chegou a cair a US$ 69,46 o barril. Às 12 horas (de Brasília), o barril estava em queda de 0,54%, em US$ 69,60. O contrato do Brent para outubro na ICE Futures recuava 0,77% para US$ 69,62. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.