Petróleo cai com alerta da AIE, estoques e impasse

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em queda nesta sexta-feira, 11, após a Agência Internacional de Energia (AIE) ter advertido que a crise fiscal nos Estados Unidos pode atingir a demanda e afirmar que a oferta cresce mais rápido do que o previsto anteriormente.

AE, Agencia Estado

11 de outubro de 2013 | 17h01

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para novembro, caiu US$ 0,99 (1%), fechando a US$ 102,02 o barril. O contrato chegou a atingir a mínima de US$ 100,60, o menor nível desde de 3 de julho, mas se recuperou com os ganhos no mercado de ações. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para novembro caiu US$ 0,52 (0,55%), terminando a US$ 111,28.

Em relatório mensal sobre mercado de petróleo divulgado nesta sexta-feira, a AIE alertou sobre os riscos significativos apresentados por qualquer questão econômica em consequência do impasse político nos EUA e da desvalorização cambial acentuada em muitos mercados emergentes, o que poderia minar as projeções.

A paralisação do governo norte-americano já está na segunda semana e o prazo dado pelo Departamento do Tesouro, de 17 de outubro, para elevar o teto da dívida se aproxima rapidamente. Os líderes republicanos da Câmara dos Representantes e o presidente Barack Obama não conseguiram chegar a um acordo para reabrir a administração ou elevar o teto da dívida, numa reunião nesta quinta-feira, 10, mas concordaram em continuar as conversas.

Embora a AIE tenha dito que a paralisação parcial da gestão do país terá um impacto "insignificante" no mercado de petróleo, a agência alertou que as preocupações sobre o teto da dívida poderão ter um efeito negativo maior sobre a demanda de petróleo. "Uma deterioração significativa na confiança das empresas e/ou dos consumidores pode prejudicar o impulso macroeconômico necessário para conduzir o crescimento adicional da demanda de petróleo em 2014", afirmou a AIE.

A agência, que tem sede em Paris, previu que a demanda mundial de petróleo deve crescer em 1 milhão de barris por dia em 2013, um aumento de 100 mil barris por dia ante a estimativa anterior. A AIE manteve a previsão para o crescimento da demanda de petróleo para 2014 em 1,1 milhão de barris por dia.

No relatório deste mês, a AIE elevou a previsão para o crescimento da oferta de países de fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em 2014 para uma média de 1,7 milhão de barris por dia, um aumento de 360 mil barris diários em relação à estimativa que fez no relatório do mercado de petróleo no médio prazo em maio. Esse aumento da oferta deve marcar o maior crescimento anual desde 1970. O parecer da IEA foi divulgado num cenário de alta nos estoques americanos, durante a paralisação das refinarias para a temporada de manutenção. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.