Petróleo cai, com aumento da atividade das refinarias

Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa pelo terceiro dia consecutivo na New York Mercantile Exchange (Nymex), depois que os dados semanais sobre os níveis dos estoques comerciais norte-americanos esfriaram as preocupações relacionadas à oferta de gasolina, segundo analistas. Os dados divulgados pelo Departamento de Energia (DoE) mais cedo mostraram que a taxa de ocupação das refinarias aumentou em 2 pontos porcentuais, para 88,2% da capacidade na semana passada. Este é o maior nível de atividade das refinarias desde início de janeiro e indica que as empresas estão concluindo a temporada de manutenção, segundo analistas. O aumento na taxa de ocupação das refinarias levou ao primeiro aumento nos estoques de destilados - que inclui diesel e óleo para aquecimento - em dez semanas e resultou num declínio abaixo do esperado dos estoques de gasolina. Segundo o DoE, os estoques de destilados cresceram em 1 milhão de barris, para 115,6 milhões de barris, comparado com um nível de 104,5 milhões de barris há um ano. Os estoques de gasolina caíram em 1,9 milhão de barris, para 200,6 milhões de barris, enquanto os estoques de petróleo bruto permaneceram quase estáveis. Os analistas estavam esperando um informe bem menos bearish (de baixa dos preços). O presidente da Cameron Hanover, Peter Beutel, disse que a melhora na taxa de ocupação das refinarias foi o aspecto mais bearish do relatório. "Significa que haverá mais gasolina e combustíveis destilados chegando e, provavelmente, os dias de acentuados declínios nos estoques de gasolina que estávamos vendo acabaram", disse Beutel. "Eu não vejo esses dados (de estoques) como um catalisador para uma nova alta dos preços", acrescentou. Na Nymex, os contratos de petróleo para junho fecharam a US$ 71,93 o barril, queda de US$ 0,95 (1,30%). A mínima foi de US$ 71,85 e a máxima de US$ 73,05. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para junho fecharam a US$ 72,09 o barril, queda de US$ 1,12. A mínima foi de US$ 72,02 e a máxima de US$ 73,63. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

26 Abril 2006 | 18h22

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.