Petróleo cai com avaliação de excesso de reservas

Os contratos futuros do petróleo negociados em Nova York voltaram a ficar pressionados nesta manhã, com o vencimento de abril operando abaixo de US$ 60,00 o barril no pregão eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex). Ontem, o contrato fechou em queda superior a 3%. Às 9h31 (de Brasília), o contrato valia US$ 60,00 o barril, queda de 0,70%, acima da mínima de US$ 59,85 o barril atingida minutos antes. Em Londres, na plataforma eletrônica ICE, o contrato de maio recuava 0,02%, a US$ 61,33 o barril. A questão do excesso de reservas nos Estados Unidos continua empurrando os preços para baixo. "A queda elimina os ganhos registrados na semana passada com preocupações geopolíticas", observou um operador. Os estoques de petróleo norte-americanos estão nos níveis mais elevados desde 1999, tendo subido recentemente apesar do recuo na produção nos EUA e das importações. A perspectiva da divulgação, amanhã, da oscilação dos estoques na semana passada acentua o foco de atenção e de especulação. De acordo com pesquisa conduzida pela Dow Jones Newswire, a estimativa média é aumento de 2 milhões de barris nos estoques de petróleo na semana passada, baixa de 700 mil barris nos estoques de gasolina e redução de 1,9 milhão nos estoques de derivados. Analistas destacam haver potencial maior de pressão sobre os contratos da Nymex, tendo em vista a resistência encontrada próximo ao valor de US$ 65,50 a US$ 66,00 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.