Petróleo cai com correção e projeção de demanda menor

Os contratos futuros do petróleo operam em baixa nesta manhã, com realização de lucros e divulgação de um relatório da Agência Internacional de Energia, no qual revisou em baixa suas projeções de demanda para 2006. A agência previu demanda 15% menor este ano, equivalente a 220 mil barris, dizendo haver sinais claros de que a elevação dos preços de energia prejudica a demanda e de que tal tendência tende a se acelerar. Os preços caem também em sintonia à demonstração de disposição do líder iraniano em abrir o diálogo com o Ocidente na questão nuclear. Às 9h08 (de Brasília), o contrato de junho do petróleo caía 0,82% para US$ 72,72 o barril no pregão eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex). Em Londres, o contrato de mesmo vencimento recuava 0,72% para US$ 72,90 o barril. Além de cortar a projeção de demanda, a Agência Internacional de Energia, da OCDE, disse que a oferta de petróleo global aumentou 485 mil barris ao dia, para 85,1 milhões, enquanto os estoques da OCDE subiram pela primeira vez em nove anos no primeiro trimestre de 2006. Apesar do noticiário favorável às vendas, operadores dizem que o mercado pode encontrar sustentação, tendo em vista que os investidores evitarão entrar no final de semana vendidos. Antes da divulgação do relatório da AIE, os contratos do petróleo caíram com as declarações do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, de que está "pronto para iniciar o diálogo". O presidente iraniano afirmou também que seu país não teme qualquer ação militar dos EUA, motivada pelo programa nuclear do país, e que considera pouco provável que haja um enfrentamento. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

12 de maio de 2006 | 09h18

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.