Petróleo cai forte com temperaturas amenas nos EUA

Os contratos futuros de petróleo sofreram queda forte na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Bolsa Intercontinental (ICE, de Londres). Na Nymex, o nível de fechamento dos contratos de petróleo bruto para fevereiro foi o mais baixo das últimas seis semanas. A queda foi atribuída às temperaturas amenas registradas na região Nordeste dos EUA e ao informe do Serviço Nacional do Tempo norte-americano de que isso deverá prevalecer pelo menos até meados de janeiro. Analistas disseram que a alta do dólar e o fato de o mercado de ações ter operado boa parte do pregão em alta, com o índice Dow Jones tendo alcançado nova máxima intraday (recorde de pontos durante o pregão, e não no fechamento), contribuíram para a queda do petróleo. "O que realmente colocou o mercado em sua trajetória de baixa foi o clima anormalmente ameno, mas depois ele acompanhou as outras commodities. Os fundos amam mercados em alta e o mercado de ações vinha subindo muito recentemente", observou o analista Phil Flynn, da Alaron Trading. Ele acrescentou que outro fator para a queda dos preços foram as previsões de que os estoques norte-americanos tenham crescido na semana passada (os dados serão divulgados amanhã). Na Nymex, os contratos de petróleo para fevereiro fecharam a US$ 58,32 por barril, em queda de US$ 2,73, ou 4,47%; a mínima foi em US$ 57,72 e a máxima em US$ 61,00. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para fevereiro fecharam a US$ 57,96 por barril, em queda de US$ 2,48, ou 4,38%, com mínima em US$ 57,42 e máxima em US$ 60,68. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.