Petróleo cai mais de 1%, ignorando interferência da Opep

Os contratos futuros de petróleo são negociados em baixa superior a 1% no final desta manhã na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), evidenciando o ceticismo dos investidores quanto à capacidade de o corte de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) conter efetivamente a queda dos preços da commodity. Às 11h59, o petróleo para entrega em novembro estava cotado a US$ 57,65 o barril, queda de 1,45%, na mínima do dia até este horário. Em Londres, na plataforma ICE, o petróleo de dezembro vale US$ 60,04, baixa de 1,38%. Em comunicado divulgado ontem à noite, após o fechamento da sessão regular da Nymex, a Opep anunciou que decidiu aplicar uma redução de 1,2 milhão de barris por dia no seu nível atual de produção. O corte superou o 1 milhão de barris previsto pelos analistas que acompanham o setor e marca a decisão mais contundente do grupo de conter a queda dos preços do petróleo. Para a Barclay´s Capital, a decisão da Opep colocou um piso para a queda dos preços, tornando insustentável uma queda mais acentuada do petróleo. A corretora lembrou também que a demanda da China e dos EUA deve evitar que os preços do petróleo sofram um recuo para abaixo de US$ 50 por barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.