Petróleo cai mais US$ 1 e fecha pouco acima de US$ 67

Os contratos futuros de petróleo caíram cerca de US$ 1,00 e fecharam pouco acima de US$ 67,00 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex), pressionados pelas temperaturas amenas no hemisfério norte e expectativas de aumento dos estoques de produtos refinados, que esfriaram a temperatura do mercado, disseram analistas. "Eu penso que estávamos precisando recuar um pouco depois dos ganhos da semana passada", disse Edward Meir, analista de commodities da Man Financial Inc em Nova York. "O tempo tem sido um constante indicador de baixa", acrescentou. As perdas dos futuros de petróleo - que não tomaram conhecimento de novo ataque com vítimas em instalações de petróleo na Nigéria - contribuíram para a alta do mercado de ações em Nova York. O dólar também se recuperou levemente frente as moedas européias. A Agip SpA, uma unidade da Eni SpA, disse que teve de "evacuar temporariamente seus funcionários e trabalhadores terceirizados" de sua base na Nigéria após um ataque contra os escritórios em Port Hartcourt, que deixou nove mortos. Uma série de ataques contra instalações de companhias de petróleo estrangeiras, que operam na rica região do delta do rio Níger, provocou uma redução de quase 10% da oferta total de 2,5 milhões/barris de petróleo do país. Participantes do mercado disseram que as acentuadas perdas dos futuros de gasolina também pesaram sobre o petróleo. Na Nymex, os contratos de gasolina para fevereiro caíram 488 pontos, para US$ 1,7444 o galão. Os contratos de petróleo para março fecharam em US$ 67,06 o barril, queda de US$ 1,04 (-1,53%); a mínima foi de US$ 67,00 e a máxima de US$ 68,10. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para março fecharam em US$ 65,34 o barril, queda de US$ 0,82. A mínima foi de US$ 65,12 e a máxima de US$ 66,35.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.