Petróleo cai quase 2% ignorando rumor sobre Opep

Os contratos futuros de petróleo operam em queda acentuada, com os operadores continuando a ignorar os rumores sobre corte da produção pela Organização dos Países Exportadores (Opep), em resposta aos níveis confortáveis de estoques do petróleo e derivados nesse momento de preparação para o inverno nos EUA. Apesar de a Venezuela e a Nigéria terem anunciado cortes na produção e do comentário do Irã, que observou que os níveis de petróleo estão muito baixos, os preços do petróleo seguem em baixa, com os operadores duvidando sobre uma ação conjunta da Opep. O feriado judaico de Yom Kippur, o Dia do Perdão, afeta a liquidez no mercado futuro de petróleo. "Parece que a Venezuela e a Nigéria estão transformando em virtude o fato de não conseguirem produzir suas cotas", afirmou Nauman Barakat, do Macquarie Futures USA, em Nova York. "O mercado está sendo levado em duas direções, estamos inundados de derivados, incluindo óleo para calefação, mas o mercado está preocupado quanto a um corte sério da produção pela Opep", afirmou. No fim de semana, um porta-voz do Ministério do Petróleo do Irã afirmou que o país considera que os preços abaixo de US$ 60 por barril são injustos. Na semana passada, a cesta de referência da Opep com 11 tipos de petróleo caiu US$ 0,81, para US$ 56,35. Os operadores avaliam que os comentários dos outros países da Opep não terão muito impacto sobre o mercado, a menos que a Arábia Saudita entre no jogo. Às 12h22, o contrato futuro de petróleo para novembro cedia 1,92%, para US$ 61,70, na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). O petróleo brent para novembro recuava 2,05%, para US$ 61,20, na ICE Futures Exchange, em Londres. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.