Petróleo dispara 3,46% e se aproxima de US$ 64

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta de mais de US$ 2 em NY nesta quinta-feira, muito perto do nível de US$ 64 o barril, impulsionados por preocupações com a oferta, diante do início da temporada de furacões nos EUA e pela visão crescente de que os estoques de petróleo norte-americanos podem já ter atingido o pico este ano. Especialistas da empresa de previsões climáticas privada AccuWeather.com afirmaram que a temporada de furacões em 2006 será agitada, mas não tanto quanto a do ano passado, quando 26 grandes tempestades e 14 furacões varreram os EUA, prejudicando operações de refinarias, plataformas e oleodutos ao longo da Costa do Golfo. A temporada de furacões começa em 1º de junho e vai até novembro. Alguns participantes começaram a reajustar sua estratégia de negócios, comprando contratos de petróleo e refinados antes do segundo semestre, em vez de esperar para serem pegos de surpresa pelos furacões. Isso, juntamente com a percepção de que os estoques de petróleo dos EUA podem estar se aproximando do maior nível no ano, sustentou todo o complexo de energia. Em NY, os contratos de petróleo para maio fecharam em US$ 63,91 o barril, alta de US$ 2,14 (3,46%). Em Londres, os contratos do petróleo tipo Brent para maio fecharam em US$ 63,27 o barril, alta de US$ 1,77. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.