Petróleo em NY avança após incidente no Irã

Os contratos futuros de petróleo fecharam nas máximas em três meses após as notícias de que o Irã prendeu 15 oficiais da marinha britânica, provocando preocupações de que uma escalada no conflito poderá levar ao corte das exportações de petróleo iraniano, segundo operadores e analistas. Embora os especialistas não estejam esperando o desenvolvimento de um conflito armado, citando um incidente similar ocorrido há dois anos, quando uma tripulação britânica foi libertada ilesos, a recente tensão entre os Estados Unidos e o Irã deu à situação mais gravidade e deixou os operadores relutantes em vender posições no mercado de petróleo. "Eu não acho que saia qualquer coisa disso, mas têm todos aqueles elementos explosivos" que pode ver a escalada na tensão, disse o analista da Fimat USA em Nova York, Mike Fitzpatrick. "É por isso que estamos vendo o petróleo sustentado", acrescentou. Um integrante do navio da marinha dos EUA disse que o Irã transmitiu uma mensagem dizendo que os membros da tripulação britânica estão bem e que estão sendo mantidos sob custódia porque estavam em águas territoriais iranianas. O ministro da Defesa do Reino Unido disse que os quinze pessoas da fragata HMS Cornwall estavam envolvidas em operações de rotina com uma embarcação comercial no Golfo Pérsico, em águas pertencentes ao Iraque, e tinham completado uma inspeção do navio quando foram abordadas pelos navios iranianos. O governo do Irã não fez nenhum comentário imediato sobre o incidente. "O mercado vai permanecer um tanto sustentado até que os marinheiros britânicos sejam libertados, mas isso pode não ser nada", disse o consultor da Prudential Financial em Nova York, Aaron Kildow. Os futuros de gasolina RBOB também subiram e chegaram a oscilar brevemente acima de US$ 2,00 por galão, o que não ocorria desde agosto de 2006. Os contratos de gasolina para abril atingiram US$ 2,0200 por galão na máxima do dia, antes de recuarem um pouco para US$ 1,9983 por galão no fechamento da sessão viva-voz na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), com uma alta de 408 pontos (2,08%). No pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para maio subiram US$ 0,59 (0,96%) e fecharam a US$ 62,68 por barril. A mínima foi de US$ 61,85 e a máxima de US$ 62,60. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para maio tinham ganho de 1,02% para US$ 63,15 por barril, às 17 horas (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.