Petróleo em NY fecha em queda a US$ 91,00 por barril

Óleo para calefação é utilizado não só no aquecimento de residências no nordeste dos EUA, mas também como referência para os preços dos combustíveis de jato e para o diesel

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

27 de dezembro de 2010 | 19h21

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em baixa no mercado norte-americano, pressionados pelo declínio nos preços do óleo para calefação, mesmo em meio às tempestades de neve nos EUA.

O óleo para calefação é utilizado não só no aquecimento de residências no nordeste dos EUA, mas também como referência para os preços dos combustíveis de jato e para o diesel. Como centenas de voos foram cancelados nos últimos dias por causa das nevascas nos EUA, o valor do galão do óleo para calefação foi puxado para baixo nesta segunda-feira. "O clima vai mudar. A demanda que foi perdida com todos esses voos cancelados é que não será recuperado", disse Stephen Schork, editor do boletim de energia Schork Report.

Outro fator que contribuiu para o declínio nos preços do petróleo foi a notícia de que o banco central da China elevou as taxas de juro para frear a inflação.

A instituição anunciou no sábado que aumentaria em 0,25 ponto porcentual duas taxas de juro referenciais do país. A medida era amplamente esperada e também era vista como um potencial limitador da demanda chinesa por petróleo. Apesar disso, "o mercado não está convencido de que os chineses agiram de forma suficientemente agressiva" para que haja um declínio no consumo da commodity, segundo Phil Flynn, analista da PFGBest.

O contrato do petróleo para fevereiro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex, na sigla em inglês) fechou em baixa de US$ 0,51, ou 0,55%, a US$ 91,00 por barril. Entre os derivados da commodity, o contrato do óleo para calefação para janeiro recuou US$ 0,0242, ou 0,95%, para US$ 2,5166 por galão.

Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para fevereiro subiu US$ 0,08, ou 0,08%, para US$ 93,85 por barril. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarrilNymex

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.