Petróleo encerra com forte desvalorização

Os contratos futuros de petróleo deram continuidade as perdas e caíram para US$ 70,06 o barril em Nova York, seu nível mais baixo em quase dois meses, diante do arrefecimento das preocupações relacionadas com a oferta do Oriente Médio e do Alasca, segundo operadores e analistas ouvidos pela Dow Jones. Os futuros de petróleo já acumulam uma perda de 7% esta semana, num movimento desencadeado pelo cessar-fogo entre Israel e o Hezbollah e a decisão da British Petroleum PLC de continuar a operar parcialmente o gigantesco campo Prudhoe Bay no Alasca. "O mercado havia precificado o pior cenário nos combates entre Israel-Hezbollah, na paralisação de Prudhoe Bay ou na temporada de furacão", disse o vice-presidente da corretora Vantage Trading, Peter Donovan. "O fato é que, conforme o tempo passou e aquelas coisas não ocorreram, o mercado tende para baixo e esse foi o caso de hoje", acrescentou. Operadores relataram ainda que vendas relacionadas com o vencimento dos contratos de opções para setembro no encerramento da sessão também contribuíram para a pressão de baixa dos preços. Além disso, o fato dos preços terem chegado ao final da sessão perto das mínimas sugere que o movimento de baixa ainda não se esgotou, disse o analista Tom Bentz, do BNP Paribas Futures em Nova York. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de petróleo para setembro fecharam a US$ 70,06 o barril, queda de US$ 1,83 (2,55%). A mínima foi de US$ 70,00 e a máxima de US$ 71,05. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para outubro fecharam a US$ 71,58 o barril, queda de US$ 1,25. A mínima foi de US$ 71,31 e a máxima de US$ 72,58. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 17h26

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.