Petróleo encerra em alta, mas abaixo de US$ 60

Os contratos futuros de petróleo subiram levemente nesta terça-feira, com o frio sobre os Estados do Nordeste dos EUA continuando a dar suporte aos preços, segundo operadores e analistas. Contudo, os futuros de petróleo fecharam bem abaixo das máximas do dia, depois de terem fracassado em subir acima de US$ 60,00 por barril pelo segundo dia consecutivo. "Foi um déjà vu, o que de fato vimos foi a repetição da sessão de ontem", disse o analista Tim Evans, do Citigroup em Nova York. "Eu penso que o nível de US$ 60 é uma questão de curto prazo, não é um teto de vidro - é uma característica técnica, os operadores estão focados sobre isso na ausência de qualquer notícia nova de fundamento", acrescentou. A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês) continua a prever temperaturas abaixo do normal na região nordeste dos EUA, que responde por 80% do consumo nacional de óleo para aquecimento, até pelo menos o dia 19. As baixas temperaturas ajudaram a dar impulso de alta aos preços dos futuros de petróleo desde 18 de janeiro, quando a commodity atingiu a mínima em 20 meses de US$ 49,90 por barril. No pregão viva-voz da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de petróleo para março subiram US$ 0,14, ou 0,24% e fecharam a US$ 58,88 por barril. A mínima foi de US$ 58,50 e a máxima de US$ 59,99. Em Londres, na ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para março subiram US$ 58,42 por barril, alta de US$ 0,32, ou 0,55%. A mínima foi de US$ 58,06 e a máxima de US$ 59,42. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.