Petróleo encerra em leve baixa em sessão volátil

Os futuros de petróleo devolveram os ganhos do dia e fecharam em ligeira baixa na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), ao final de uma sessão volátil, marcada pelas negativas de membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de que o cartel estivesse reduzindo a produção para tornar a oferta mais apertada, segundo analistas. Em Londres, no entanto, os futuros de petróleo Brent fecharam em alta modesta. "Foi um dia muito volátil, com todas as diversas mensagens vindas da Opep", disse o vice-presidente da corretora Dimon Oil em Nova York, Michael Cambria. De acordo com uma publicação do setor, a Platts, a Nigéria - maior produtora da África - vai reduzir suas exportações de petróleo em 5%, a partir de 1 de outubro. Uma autoridade sênior da Nigéria afirmou à publicação que o corte de produção de 120 mil barris por dia está "em linha com uma redução informal" adotada pelo cartel. Contudo, vários membros da Opep negaram em entrevistas à Dow Jones a existência de tal acordo. "Eu ignoro totalmente isso", disse o presidente da Opep, Edmund Daukoru. "É claro que a recente queda dos preços é uma preocupação compartilhada, mas as consultas (entre os membros) ainda estão sendo feitas", acrescentou. O analista Paul Tossetti, da empresa de consultoria PFC Energy em Washington, disse que o comunicado da Nigéria pode ter sido mais uma tentativa de estimular o mercado. A produção de petróleo da Nigéria já caiu mais de 800 mil barris/dia em virtude de turbulências na região produtora do delta do rio Níger, o que custa ao país centenas de milhares de dólares em receita perdida, portanto, não faz sentido o governo reduzir ainda mais as exportações, segundo o analista. Na Nymex, os contratos de petróleo para novembro caíram US$ 0,20, ou 0,32% e fecharam a US$ 62,76 o barril. A mínima foi de US$ 62,60 e a máxima de US$ 64,00. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para novembro fecharam a US$ 62,54 o barril, com um ganho de US$ 0,33, ou 0,53%. A mínima foi de US$ 61,87 e a máxima de US$ 63,63. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2006 | 17h23

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.