Petróleo encerra quase estável, apesar de estoque baixo

Os contratos futuros de petróleo fecharam quase estáveis em Londres e Nova York, depois de devolverem grande parte dos acentuados ganhos do dia gerados pela queda dos estoques nos EUA e persistentes preocupações com relação a problemas na oferta ao redor do mundo, incluindo o fechamento do campo de petróleo Prudhoe Bay, no Alasca. O recuo dos preços ocorreu apesar dos dados do governo terem mostrado um declínio nos estoques comerciais norte-americanos de petróleo bruto e derivados e ressaltou a preocupação dos operadores com relação à manutenção de posições bullish (de alta) com os preços já oscilando perto das máximas recordes. O vice-presidente da Vantage Trading em Nova York, Pete Donovan, disse que os operadores ficaram surpresos com a dificuldade dos futuros de gasolina, apesar da acentuada queda de 3,2 milhões de barris na semana passada, para 207,7 milhões de barris. "A fraqueza na gasolina foi surpreendente considerando os dados bullish dos estoques e se combinou com as dúvidas dos operadores sobre o mercado", disse. Na Nymex, os contratos de gasolina para setembro recuaram 541 pontos (2,43%) e fecharam a US$ 2,1722 por galão. A acentuada queda dos futuros de gasolina ocorreu sobre indicações de um excesso de oferta no mercado físico, onde se observa uma fraqueza dos preços à vista nos últimos dias. Os estoques de petróleo bruto encolheram em 1,1 milhão de barris na semana passada, para 332,6 milhões de barris, refletindo o aumento da produção das refinarias e ligeira queda das importações, segundo dados do Departamento de Energia (DoE). O declínio dos estoques ocorreu num momento de forte demanda sazonal de petróleo e interrupção da oferta ao redor do mundo, incluindo o fechamento esta semana do campo Prudhoe Bay, operado pela British Petroleum. Essas preocupações devem manter os preços perto da máxima recorde de US$ 78,40 o barril, registrada no dia 14 de julho, pouco depois do início da guerra Israel-Hezbollah no Líbano. "A ameaça de (interrupção da oferta) ainda persiste", disse Donovan. Na Nymex, os contratos de petróleo para setembro fecharam a US$ 76,35 o barril, alta de US$ 0,04 (0,05%). A mínima foi de US$ 76,20 e a máxima de US$ 77,40. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para setembro fecharam a US$ 77,28 o barril, queda de US$ 0,27. A mínima foi de US$ 77,17 e a máxima de US$ 78,43. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.