Petróleo fecha a US$ 60 com problema em oleoduto

Os contratos futuros de petróleo fecharam acima de US$ 60,00 o barril pela primeira vez este ano, com problemas em oleodutos e refinarias ajudando a empurrar os preços para cima. Os futuros da gasolina RBOB (reformulated blendstock for oxygen blending) puxaram a alta depois que a TEPPCO Partners informou que um vazamento num oleoduto entre a Costa do Golfo dos EUA e Nova York a obrigou a paralisar o transporte de 60 mil barris/dia de produtos refinados. Apesar de a paralisação representar apenas um quarto do total de 240 mil barris por dia transportado pelo oleoduto, a interrupção se somou ao fechamento por tempo indeterminado da refinaria da Valero Energy, McKee, em Sunray, Texas, com capacidade para 158 mil barris por dia, para levar o preço da gasolina à máxima em dois meses. "O ganho do petróleo está totalmente relacionado à gasolina RBOB, e se o vazamento da TEPPCO é importante ou não, além da contínua preocupação com a situação da McKee", disse o presidente da consultoria de petróleo Ritterbusch and Associates, Jim Ritterbusch, em Galena, Illinois. Ritterbusch afirmou que o fechamento hoje acima de US$ 60,00 o barril, após muitas tentativas frustradas este mês de superar este patamar, pode dar suporte psicológico aos preços nas próximas sessões. O contrato para abril do petróleo do tipo leve em Nova York fechou em alta de US$ 1,22, ou 2,07%, para US$ 60,07 o barril após subir até US$ 60,63, na máxima do dia. Na ICE londrina, o Brent subiu US$ 1,40, ou 2,41%, para US$ 59,38 o barril. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.