Petróleo fecha a US$ 62, a máxima em 10 semanas

O preço do petróleo subiu para seu nível mais elevado desde final de dezembro, após a redução dos temores de colapso dos mercados de ações e fortalecidos pelas preocupações relacionadas com a oferta de gasolina, segundo operadores e analistas. O índice Dow Jones, que chegou a cair 200 pontos na abertura da sessão e arrastou junto o mercado de energia, se recompôs e reduziu grande parte das perdas após a divulgação do forte dado de atividade industrial do Instituto para Gestão de Oferta (ISM, ex-NAPM). A virada dos mercados de ações, combinado com a forte alta dos futuros de gasolina RBOB, em reação às notícias de problemas numa refinaria da Valero Energy Corp, levaram os operadores a voltarem a comprar futuros de petróleo. "O petróleo foi pressionado nas duas direções pelas mudanças no mercado de ações e pela orientação de preço do mercado de gasolina RBOB", disse o presidente da Ritterbusch & Co., Jim Ritterbusch, em Galena (Illinois). "Hoje, mais uma vez, o vigor da gasolina venceu", acrescentou. "Parece que todo dia temos nossa dose de notícias de refinarias, que parecem acrescentar um par de centavos no mercado e mantêm a tendência de alta da gasolina RBOB", acrescentou. Uma porta-voz da Valero disse que as operações da refinaria da companhia em Port Arthur, no Texas, estavam normais, apesar do informe de mal funcionamento de uma unidade de coker - que converte petróleo residual em gasolina ou diesel combustível. O incidente foi o último de uma série de problemas que perseguem as refinarias norte-americanas antes da temporada de elevado consumo de gasolina dos meses de primavera e verão. Esses problemas vêm reduzindo a produção das refinarias e a oferta de produtos derivados de petróleo. "Toda vez que há uma refinaria com problema, isso se soma a toda a preocupação com relação à capacidade apertada de refino do país", disse o analista Mike Fitzpatrick, da corretora Fimat USA em Nova York. No pregão viva-voz da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de gasolina para abril subiram 363 pontos, ou 1,94%, e fecharam a US$ 1,9101 por galão. Os contratos de petróleo para abril subiram US$ 0,25, ou 0,40%, e fecharam a US$ 62,00; a mínima foi de US$ 60,80 e a máxima de US$ 62,49. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para abril subiram US$ 0,22, ou 0,36%, e fecharam a US$ 62,11 por barril. A mínima foi de US$ 61,05 e a máxima de US$ 62,74. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.